Estudantes de Marketing visitam Unidade Produtiva das Catadoras de Mangaba

As Catadoras de Mangaba do povoado Capoã receberam um grupo de alunos do curso de Marketing da Fanese, no último dia 05, das 13 às 18h. A interlocução das extrativistas com os estudantes envolveu temas relacionados à geração de renda, identidade cultural, saberes, marketing de serviços, vendas e promoção da cidadania.

Alimentos tradicionais foram preparados para receber o grupo da Fanese. O cardápio incluiu pirão de galinha de capoeira, elaborado a partir da criação dos quintais e uma moqueca de camarão com mamão verde, resultante da cata de mariscos e coleta de frutos. Os tradicionais suco e torta de mangaba deram um toque aguçador na percepção dos discentes. A partir disso, participaram da ciranda de troca de saberes, que trouxe à mesa o papel da comunicação e do marketing para a emancipação social e manejo de processos históricos vivenciados pelas protagonistas.

Conduzidos pelas extrativistas, os estudantes fizeram uma visita às instalações da Associação das Mangabeiras, espaço recém-inaugurado, que conta com cozinha semi-industrial, salão multiuso, escritório, lojinha e alojamento. Numa interlocução horizontalizada com as anfitriãs, obtiveram respostas às questões relativas à comunicação e cidadania, gênero, marketing, fortalecimento da renda e plano de negócios.

Ao final do dia foram guiados num mergulho pela restinga, bioma rico em plantas e frutos nativos. Em Sergipe, segundo especialistas, esse espaço é impulsionador da sobrevivência material e simbólica de 600 famílias, que vivem da coleta de alimentos como murici, cambuí, cambucá e mangaba.

Segundo a professora Rita Simone, “os alunos puderam observar a marca das extrativistas e sua cartela de produtos e serviços. Conheceram os diferentes suportes que estrategicamente elas utilizam para a promoção da visibilidade de sua agenda social. Sem perder esse eixo de vista, degustaram os doces e tortas que elas produzem a partir da recuperação de receitas tradicionais que, segundo afirmam, eram feitas por suas avós e tias”.

Para saber mais acesse:
Embrapa (https://www.embrapa.br/busca-de-publicacoes/-/publicacao/409605/as-catadoras-de-mangaba-problemas-e-reivindicacoes)
www.catadorasdemangaba.com.br

MARKETING | Rita Simone, professora da FANESE | 10/05/2018.


Parceiros

Convênios

Erro no banco de dados do WordPress: [Duplicate entry '0.000000' for key 'attackLogTime']