Mais uma aluna com surdez conclui um curso superior na FANESE

A aluna Monik Tomaz Gois apresentou para a banca avaliadora de TCC a defesa do seu trabalho intitulado Dificuldades de discentes surdos na formação de nível superior em área contábil: estudo de caso em faculdade particular. Seu orientador foi o professor Cantidiano Novais Dantas. Ela obteve avaliação máxima: nota 10.

Expressando-se em linguagem LIBRAS e tendo tradução simultânea pela intérprete Solange Silva, Monik afirmou que a escolha do curso de Ciências Contábeis, na FANESE, deu-se com a perspectiva de, no futuro, ser uma profissional da área. As dificuldades linguísticas que existem na formação superior para acadêmicos surdos, principalmente nas matérias que exigem grande compreensão da Língua Portuguesa, mesmo tendo intérprete à sua disposição, não lhe tiraram o ânimo, assim como as dificuldades nas relações com os colegas de sala. Ela persistiu, por seis anos, em aprofundar-se em um tema ligado ao próprio perfil, para transpor as barreiras e concluir seu curso superior, sem perder o foco da formação profissional.

Segundo o professor Cantidiano Novais Dantas, Monick construiu o TCC, vencendo alguns percalços, entre eles as dificuldades naturais que foram surgindo nas interpretações e compreensões para traduzir os resultados da pesquisa. Entretanto, a produção do artigo foi favorecida pela louvável vontade dela em concluir o curso e, desta maneira, tudo foi edificado a contento, com méritos reconhecidos.

“Senti-me honrado em ter orientado Monick na construção de seu TCC, em forma de artigo, cujo alicerce teórico é pesquisado por vários estudiosos da área pedagógica voltada as dificuldades de aprendizagem formal da pessoa surda no curso superior. Como aluna de um curso, Ciências Contábeis, onde há aspectos teóricos e práticos que são, em princípio, complexos para qualquer universitário, ela destacou-se pela superação e interesse em oferecer um instrumento de motivação para outras pessoas surdas.” Destacou o professor Cantidiano.

Na pesquisa, ela conseguiu aliar conhecimentos teóricos sobre o curso e o desafio de enfrentá-lo, demonstrando as inúmeras dificuldades enfrentadas pelos acadêmicos surdos e sugerindo adaptações para a inclusão educacional ao nível superior na área contábil. Monik destacou: “Agradeço, imensamente, ao professor Cantidiano, por nortear minhas pesquisas, bem como à FANESE pelo respeito aos acadêmicos surdos.”

Para Marta Leite, representante da Comissão de Acessibilidade da FANESE, esse é um grande momento para a formanda. Mas também é para todos que buscamos, cada vez mais, melhorar o atendimento e aperfeiçoar as metodologias, a fim de que qualquer aluno tenha oportunidades de ingresso e de conclusão de curso, em igualdade de aprendizagem, independente das limitações. “Estamos em um processo de evolução contínua para que acessibilidade seja alcançada de forma ampla em todas as suas áreas: atitudinal, comunicacional, digital, Instrumental e metodológica.”, aditou Marta. E o coordenador acadêmico, professor José Albérico, pronunciou-se, afirmando que “É um privilégio e um sentimento de dever cumprido ao possibilitar que mais uma aluna surda possa concluir sua graduação com o merecido louvor.”


Parceiros

Convênios

Erro no banco de dados do WordPress: [Duplicate entry '497563' for key 'PRIMARY']