Atividades na FANESE na passagem do Dia do Surdo

Desde 2017, a Comissão de Acessibilidade da FANESE vem desenvolvendo e fomentando ações em toda a instituição, visando ao processo da inclusão entre acadêmicos – instituição – sociedade. Justifica-se este projeto, dada à necessidade de se promover ações que reafirmem o a necessidade de inclusão de alunos surdos na FANESE. Dessa maneira, busca-se dar continuidade ao processo de difusão da Língua Brasileira de Sinais (Libras) no âmbito acadêmico e de se quebrar as barreiras de comunicação entre alunos surdos e ouvintes.

Neste ano, o II Encontro do Dia do Surdo aconteceu em dois momentos, 26 e 29 de setembro. No dia 26, ocorreram atividades destinadas aos alunos da graduação, com a seguinte programação: exposição de desenhos dos alunos de Arquitetura e Urbanismo (disciplina Desenho à Mão Livre); oficina de datilologia e apresentação pessoal, com a Esp. Marta de Lima Leite, membro da Comissão de Acessibilidade e pequisadora sobre o tema “Libras e o aluno surdo no ensino superior”. Os alunos surdos da graduação Pablo Ramon Lima de Barros e Monik Tomaz Gois compartilharam suas experiências sobre o processo de inclusão no ensino superior e os desafios enfrentados no processo de comunicação.

Também foram destaques no primeiro dia da comemoração: o professor Cantidiano Novais Dantas, que palestrou sobre a experiência de ter um aluno surdo em sala de aula e orientar o TCC da aluna Monik Tomaz Gois com o tema “A experiência da Docência com alunos surdos: desafios e conquistas”; a egressa surda Elaine Thiara Viana de Almeida, que comentou sobre “Expectativas e realidade pós-formação acadêmica”. Desta forma, os alunos da graduação da FANESE puderam conhecer, no dia 26, um pouco sobre a Língua Brasileira de Sinais e foram incentivados a quebrar barreiras da comunicação.

No dia 29 de setembro, deu-se continuidade à programação em homenagem ao Dia do Surdo. Pela manhã, o evento contou com a participação ativa dos alunos das turmas de LIBRAS da Pós-Graduação, que apresentaram músicas na Linguagem de Sinais e Vídeos (LSV), seguindo-se as palestras ministradas pela profa. Ma. Hadassa Rodrigues Santos, da PUC/MG, pelo prof. Ms. Rogério Timóteo, da PUC/SP e por Christian Freitas, formando em Pedagogia. Pela tarde, foram ministrados minicursos para praticar a Libras e facilitar a comunicação com pessoas surdas. As orientações foram passadas por alunos da Pós-Graduação: Stéfano Araújo Santos, Maria Elisangela de Souza, Laís Helena Bispo de Oliveira, Cleberson José Siqueira de Souza, Lívia Marita Bispo de Oliveira e Sâmara Timóteo dos Santos).

Para Marta, uma das organizadoras do evento, este foi mais um momento especial para a FANESE, para a comissão de acessibilidade, em particular. “Nossa comunidade acadêmica conheceu as especificidades da Libras e a importância da interação com as pessoas surdas.” Ela ressaltou que é necessário perder o medo de se comunicar com os surdos e buscar aprender sinais básicos da Língua Brasileira de Sinais, contribuindo com a ampliação da acessibilidade e com a socialização de todos nos diversos ambientes da faculdade.

Para os professores do Instituto Pedagógico de Apoio à Educação dos Surdos de Sergipe (IPAESE), o evento foi significativamente rico de conhecimento, pela abordagem do tema ligado à Libras e à comunicação com os surdos, uma vez que teve a excelente participação de dois prestigiados professores das PUC´s de Minas Gerais e de São Paulo foram significativos. Alanne Cruz, professora de Matemática, afirmou que apresentar as estratégias pedagógicas usadas em sala de aula é uma troca de conhecimentos, vez que “As pessoas têm curiosidade sobre como acontece esse processo didático e esta foi uma ótima oportunidade de intercambiar estratégias.”

Lucielma, coordenadora do Instituto, destacou o compromisso da FANESE com a causa da inclusão, preocupando-se, em particular, com a acessibilidade dos surdos: “Para o IPAESE, é gratificante perceber que esta faculdade particular vem tomando iniciativas para inclusão.” Ela também citou a as palavras de satisfação da sua aluna Vitória, por conhecer a FANESE: “Pude compartilhar minha história como surda e mostrar que não sou diferente, pelo fato de não ouvir. Somos iguais, quando se trata de compartilhar a aprendizagem em sala de aula. Por isso gostei de conhecer a FANESE e de seu programa de inclusão.”

A comissão de acessibilidade agradece aos coordenadores, professores e alunos dos cursos de Administração, Ciências Contábeis e de Arquitetura e Urbanismo, pela contribuição e participação no evento, bem como ao IPAESE, ao NAP, ao NPGE, aos alunos egressos e a todos que compartilharam as ações desenvolvidas durante o II encontro do Dia do Surdo.


Parceiros

Convênios

Erro no banco de dados do WordPress: [Table './fanese9/wp_wfHits' is marked as crashed and last (automatic?) repair failed]
SHOW FULL COLUMNS FROM `wp_wfHits`