Alunos de Arquitetura e Urbanismo fazem visita técnica

No dia 18 de maio do corrente ano, os alunos do curso de arquitetura e Urbanismo da FANESE, acompanhados pelos professores Reginaldo Pina, Cristiano Pacheco e pela professora Weslainy Lemos, participaram de uma visita técnica às cidades de Itaporanga D’Ajuda e Estância, a fim de analisar e entender os edifícios históricos e seus estilos arquitetônicos, a paisagem e ambiência dos locais, bem como a percepção do espaço urbano.

Na primeira parada, na cidade de Itaporanga, foi visitado a Casa e Colégio dos Jesuítas, construção do século XVII, considerada a primeira residência dos inacianos em terras sergipana, bem como, também, a capela que faz parte do conjunto arquitetônico. Nesse local, os alunos puderam conhecer e compreender os edifícios, seus sistemas construtivos, suas características estilísticas, assim como da percepção da paisagem e de sua relação com os elementos construídos.

No segundo destino, a cidade de Estância, as atividades foram ainda mais ativas. Os alunos, além de compreenderem a dinâmica da cidade e a relação dos fluxos e mobilidade, puderam visitar alguns edifícios históricos importantes do município, o riquíssimo acervo de azulejaria e o paisagismo das praças estancianas.

Dentre os pontos mais importantes da visita, destacou-se a visita à obra de Restauração da Catedral N. Sra. de Guadalupe, onde os docentes puderam analisar alguns pontos da intervenção, como o restauro dos retábulos, das pinturas artísticas e do forro. Outro local visitado foi a Praça Orlando Gomes, que abriga a Igreja Nossa Senhora do Rosário. Ali, os professores explicaram a tipologia do espaço religioso e a relação do edifício com a paisagem da praça.

No percurso entre as duas igrejas, foram apresentados os casarios neoclássicos e ecléticos, revestidos pelos azulejos portugueses, representando o maior acervo de azulejaria de Sergipe. Durante a caminhada na Rua Capitão Salomão, discutiu-se, com os alunos, a ausência de medidas de conservação dos azulejos e dos edifícios, o que poderá causar, futuramente, a descaracterização da histórica paisagem urbana e cultural da cidade. Por fim, o último local visitado foi a Vila Operária e a Fábrica Santa Cruz, símbolos do crescimento urbano da cidade. Ali, foi possível reconhecer exemplares da arquitetura dos séculos XIX e XX, como os edifícios ecléticos e Art Déco.


Parceiros

Convênios