Mais uma Semana do Meio Ambiente bem sucedida (I)

A Lei nº 9.795, no Artigo 1º, define educação ambiental como sendo “[…] processos por meio dos quais o indivíduo e a coletividade constroem valores sociais, conhecimentos, habilidades, atitudes e competências voltadas para a conservação do meio ambiente, bem de uso comum do povo, essencial à sadia qualidade de vida e sua sustentabilidade.”  

Na FANESE, a Semana de Meio Ambiente e Sustentabilidade é muito importante, pois é um meio através dos quais valores de conservação do meio ambiente são construídos pela comunidade acadêmica, de forma crítica e pertinente. Assim, as atividades do referido evento visam promover a sensibilização do alunado para a importância da educação ambiental, fomentando práticas sustentáveis. O coordenador do projeto é o professor José Albérico Gonçalves Ferreira, também coordenador acadêmico da FANESE.

Para o Professor Bira, “Esta é mais uma oportunidade para a comunidade acadêmica absorver e alinhar a defesa do meio ambiente, com destaque para a atenção ao plano de aos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) contidos na coleção de 169 metas trabalhadas na ONU, entre 2013 e 2015. Esses objetivos são parte de uma coleção de 169 metas globais estabelecidas pela Assembleia Geral das Nações Unidas, durante a Cúpula das Nações, em 2015, New York, e que visam acabar com a pobreza até 2030, além de promover a prosperidade econômica, o desenvolvimento urbano e social, bem como a proteção ambiental.”

Na primeira noite do evento, houve, inicialmente, a abertura da Semana, coordenada pelo professor Frederico Carvalho, anunciando a apresentação do coral de idosos da LBV, O grupo, ora cantando, ora dançando, atraiu professores e alunos presentes na área de convivência do pavimento térreo, que acompanharam as músicas executadas pelos coralistas. Em seguida, foram proferidas duas palestras no Auditório A: 1ª) Desenvolvimento sustentável; 2ª) A proteção do meio ambiente pela perspectiva liberal. Os temas despertaram interesse de alunos e professores, que, além de lotarem o Auditório A, levantaram questões pertinentes, respondidas pelos palestrantes.

A noite do dia 4 de junho foi reservada às Engenharias Civil e de Produção, quando o tema abordado foi Resíduos. As palestras sobre este assunto desenvolveram-se no auditório do Bloco A. E a primeira palestra foi sobre a CARE e a Reciclagem, proferida por Suyanne Sudário Cardoso, integrante da Cooperativa dos Agentes Autônomos de Reciclagem de Aracaju (CARE). Na segunda palestra, proferida por Anne Grazielle Costa Santos, a exposição foi sobre Política Nacional de Resíduos Sólido.

A engenheira Anne Grazielle abordou a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), sua estrutura, importância, implantação no Brasil, a partir de 2010, e as suas principais ações, que preveem: a reciclagem, que dignificou a profissão do catador de lixo, que pode contar com políticas públicas para melhorar o exercício da sua função, a exemplo das Cooperativas; a desativação dos lixões, criando a obrigatoriedade de implantação de aterros sanitários – em Sergipe, quando foram criados cinco consórcios para o atendimento à PNRS, embora não estejam, ainda, em operação; a responsabilidade compartilhada, onde o gerador do resíduo é responsável por sua destinação final; e a logística reversa de uma série de materiais, entre eles pneus, eletro-eletrônicos, baterias automotivas, celulares.

A CARE compareceu ao evento com três cooperadas, Suyanne, Socorro e Ingrid, que contaram a história de como a Cooperativa teve início após a proibição da presença de catadores no lixão na década de 1990 e as dificuldades enfrentadas para chegar até aqui. Também abordaram a importância de destinar os resíduos de cada região demográfica para a cooperativa ali existente. A FANESE possui convênio com a CARE para a destinação de recicláveis. As cooperadas informaram que o envio destes materiais sustenta, através da venda deles, em torno de 60 famílias atualmente.


Parceiros

Convênios