Empregabilidade para o Acadêmico de Direito

Durante a noite de segunda-feira passada, 4 de novembro, no auditório do Bloco A, os alunos do curso de Direito tiveram a oportunidade de participar de uma roda de conversa (bate-papo) sobre As principais barreiras entre a Universidade e o Mercado de Trabalho para o Acadêmico de Direito. O objetivo principal do encontro foi promover uma maior interação dos estudantes do curso de Direito com a Comissão de Acadêmicos de Direito – OAB/SE.

Uma equipe do projeto da Comissão Itinerante, composta de alunos de diversos cursos de Direito de Sergipe, além da Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Sergipe, comandou o evento, visando favorecer uma comunicação direcionada às questões da formação dos bacharéis e as expectativas do mercado de trabalho que os espera. Ana Carolina, Letícia Melo, Fátima Alves e Raquel Kecianny fazem parte da referida Equipe. Os responsáveis pelo projeto são: Caio Santiago e Fátima Alves. Da FANESE, participaram do bate-papo os alunos Hícaro Robert, Raquel Kecianny, Érica Spíndola e Williany Santos.

Como convidado especial, o professor Msc. em  Direito, Carlos Eduardo Pereira Siqueira, conhecido como Doutor Cadu, e que é, também, presidente do Conselho Estadual da Jovem Advocacia, intermediou as apresentações de estudantes na roda de conversa, que destacaram as seguintes questões: a) Quais os principais equívocos do estudante de Direito?; b) Mitos e verdades sobre a advocacia; c) O que leva um recém-formado em Direito a trabalhar no comércio ou a ficar desempregado? d) Como concluir o curso na faculdade preparado para o mercado de trabalho?

Antigas preocupações dos alunos foram revistas, no bate-papo, tais como as de um evento realizado nos dias 15 e 16 de agosto último: A pessoa postulante a um cargo jurídico deve conhecer as vantagens e desvantagens, em nível de alcance dos seus sonhos; se, por um lado, os pendores para servir à sociedade, defendendo o cliente com justiça, são uma boa justificativa ética e louvável, por outro lado, uma pesquisa de mercado, a fim de saber qual a vertente mais requisitada para a atuação desse profissional, faz-se necessária.

A advogada Fátima Alves, membro da Comissão da Jovem Advocacia  OAB/SE), deu seu depoimento à professora Patrícia Cáceres, expressando seu agradecimento e satisfação pela acolhida dispensada pela FANESE à comissão itinerante. “Foi um evento maravilhoso, muito engrandecedor. Cadu abordou pontos relevantes, no que pertine aos desafios da advocacia, que são abordados em sala de aula. Destacou-se o discutido sobre a devida administração do tempo em meio aos diversos mecanismos tecnológicos, atualmente, bem como a importância de saber dialogar como profissional, para haver uma melhor efetividade e evitar possíveis mal-entendidos. Enfim, é notório o valor deste Projeto no meio acadêmico, pois, além de proporcionar um maior acolhimento, por parte da OAB-SE, traz um norte para o estudante sobre barreiras existentes, em particular para a sua atuação no mercado de trabalho.”


Parceiros

Convênios