Prática Formativa no Curso de Arquitetura e Urbanismo

No último dia 11 deste mês de novembro, os alunos do Curso de Arquitetura e Urbanismo da FANESE promoveram, nas dependências da faculdade e em ruas adjacentes, uma Prática Formativa da Disciplina Planejamento Urbano e Regional. ministrada pelo Professor Msc. Waldson Costa. O tema do evento foi Se esta calçada fosse minha.

O referido projeto tem o objetivo de relacionar os conceitos do Planejamento Urbanístico da Cidade Aracaju com as práticas do cotidiano. Especificamente, os conceitos sobre este assunto são revistos, destacando-se os desafios da acessibilidade e da caminhabilidade dos aracajuanos nas principais vias públicas. Desta forma, são apresentadas novas propostas que incluem os meios e formas de intervenção que os arquitetos e urbanistas podem, realizar de forma qualificada, técnica e com o devido respaldo acadêmico. 

Nesta primeira edição da relação teoria-prática, os alunos contaram com a presença de Lucas Aribé, vereador por Aracaju, que apresentou as ações legislativas em prol da acessibilidade e quais os principais desafios da atuação parlamentar na proposição de leis para a construção de uma cidade mais humana e acessível.

Após a apresentação e a análise feita por Lucas, os alunos e professores foram desafiados a vivenciar as dificuldades e limitações impostas pela ausência de infraestrutura acessível na cidade, em particular com o uso de cadeira de roda, venda nos olhos com o uso de bengalas e muletas.  O trajeto experimentado iniciou-se na FANESE com destino à Colina do Santo Antônio. E durante o percurso feito, o professor Waldson Costa apresentava as diversas dificuldades e irregularidades na infraestrutura das travessias, na elevação das calçadas e no tempo semafórico para a travessia de pedestres.

Ao final da experiência, os alunos e o professor confessaram que se sentiram sensibilizados, como se fossem pessoas portadoras das deficiências, diante da experiência vivida durante a locomoção. Também destacaram a importância do conhecimento das normas e das leis, no momento em que forem elaborar projetos urbanos e arquitetônicos e do papel social e inclusivo do Arquiteto e Urbanista no projeto de construção de uma cidade mais acessível aos públicos diversos e ao cumprimento da convivência democrática. Para o Zilton Alves Cavalcanti Filho, coordenador do curso de Arquitetura e Urbanismo, “Este formato de Prática Formativa revelou-se muito proveitosa, pela forma como os alunos despertaram o interesse e o engajamento pela causa da acessibilidade urbana.”


Parceiros

Convênios