fbpx

POLITICA DE AQUISIÇÃO E DESENVOLVIMENTO DO ACERVO DA BIBLIOTECA DA FANESE

01 – Objetivos

a) Estabelecer critérios que disciplinem o crescimento racional e equilibrado do acervo bibliográfico nas áreas de interesse da instituição, evitando a inclusão de títulos de qualidade duvidosa ou em duplicidade, em detrimento de outros fundamentais e relevantes;

b) Determinar critérios para duplicação de títulos e prioridade na aquisição de materiais;

c) Atender a demanda dos cursos de graduação e pós-graduação da instituição, seguindo critérios de responsabilidade e prioridade no processo de aquisição.

02 – Formação do acervo

A formação e a aquisição do acervo da Biblioteca deverão atender às seguintes finalidades:

a) Dar apoio e suporte bibliográfico, principalmente, aos programas de graduação e pós-graduação da instituição sem desconsiderar eventuais ações no âmbito da pesquisa e da extensão;

b) Atender a demanda da comunidade interna e externa na qual a instituição está inserida e;

c) Resguardar materiais importantes que resgatem a história da instituição, incluindo seus documentos oficiais e suas publicações.

2.1 – Fontes para seleção

Como fontes de informações sobre as obras a serem selecionadas, serão considerados:

a) Os planos de curso de cada disciplina, priorizando a literatura básica com a aquisição de menos títulos e maior número de exemplares;

b) Materiais distribuídos por editoras e livrarias;

c) Bibliografia indicada pelos professores e coordenadores a partir da bibliografia complementar dos planos de curso e;

d) Sugestões de usuários da Biblioteca.

Deve ser ressaltado, no entanto, que o gestor da Biblioteca deverá estar atento às limitações de cada um desses instrumentos, a exemplo da tendenciosidade, do apelo comercial e da inadequação aos objetivos da Instituição.

2.2 – Critérios para seleção qualitativa

a) Adequação do material aos objetivos da instituição;

b) Representatividade e qualidade do autor e do editor e;

c) Excetuando-se os textos especiais, a questão da atualidade da obra que deverá obedecer a, um máximo de, cinco anos de editada.

2.3 – Critérios para seleção quantitativa

Por ocasião do início de cada semestre letivo, a instituição executa um processo de aquisição de novos livros. Para otimizar os resultados desta ação, são considerados os seguintes parâmetros:

a) Os textos de autores nacionais são adquiridos com base em recomendações do MEC, considerando dois títulos da bibliografia básica para cada disciplina, com um exemplar para cada oito alunos e dois títulos para a bibliografia complementar, sendo dois exemplares para cada título;

b) Os textos de autores internacionais são adquiridos quando não existe uma adequada outros idiomas não serão adquiridos na mesma proporção dos textos escritos em português. Sua forma de aquisição é de um exemplar para cada título;

c) Os textos de referência são adquiridos na forma de um exemplar por área de conhecimento, obedecendo, assim, aos padrões do CNPQ. Tais textos são normalmente representados por enciclopédias, dicionários, atlas, catálogos e outros e;

d) Os periódicos impressos ou eletrônicos são adquiridos, geralmente em número de três por curso, quando comprovada a necessidade de atendimento aos seus projetos pedagógicos.

Por ocasião da assinatura e da renovação dos periódicos eletrônicos deverão ser considerados sua facilidade de acesso simultâneo, bem como o backup após o término de sua assinatura.

No caso do cancelamento de assinatura de periódicos serão avaliadas as seguintes situações:

A edição de um novo título mais abrangente que o existente no acervo;

O desinteresse do curso solicitante e;

A comprovação da inexistência de estatísticas de uso.

3 – Responsabilidades pela programação semestral de aquisição do material bibliográfico

Em cumprimento ao disposto nesta Portaria, cabe aos coordenadores de curso, após instruções dos seus docentes em consonância com a bibliotecária, toda programação de aquisição dos materiais bibliográficos.

Cada coordenador deverá encaminhar seu programa de aquisição ao coordenador acadêmico que, após reunião conjunta com os coordenadores, fará a triagem dos programas para efeito de eliminação de possíveis duplicações de textos e a formulação do documento final a ser encaminhado ao diretor geral da instituição para autorização do processo de compra.

Todo este trabalho deverá ser realizado de tal forma que as novas aquisições de cada semestre letivo estejam à disposição da bibliotecária até o final do primeiro mês de aula no semestre.

4 – Doações

Normalmente é comum o procedimento de doações entre Bibliotecas e, até mesmo, de pessoas físicas. Para aceitação de tais doações, é necessário, por parte do doador, o preenchimento de um formulário específico para este fim. Entretanto, não serão incorporados ao acervo títulos ou volumes motivados somente pelo ato de doação.

As obras doadas serão selecionadas de acordo com os critérios:

1. Caso a doação seja livros, deverão ser observadas as características:

a) A representatividade e a qualidade do autor e do editor;

b) A relevância de conteúdo para a comunidade acadêmica e;

c) As condições físicas do material doado.

2. No caso de periódicos:

a) Somente para completar falhas em títulos existentes e;

b) No caso da não existência dos títulos no acervo, aceitar somente àqueles que sejam do interesse acadêmico da comunidade.

As doações recebidas serão disponibilizadas na Biblioteca, obedecendo aos parâmetros:

a) Incorporação ao acervo;

b) Doação ou permutação com outras instituições e;

c) Descarte.

Para seleção das obras doadas serão consultados os docentes das áreas do conhecimento específico.

5 – Desbastamento de material bibliográfico

Desbastamento é o processo pelo qual se retira do acervo ativo títulos, exemplares, partes de coleções, para efeito de remanejamento ou descarte. Deve ser um processo contínuo e sistemático, objetivando a manutenção da qualidade da coleção. O desbastamento de coleção deve ser feito de acordo com as necessidades da Biblioteca, ouvindo os docentes das áreas de conhecimento específico da obra.

6 – Remanejamento

É um processo de armazenagem de material bibliográfico, retirado do acervo ativo para local específico, com o objetivo de abrir espaços para materiais novos na Biblioteca. Este material fica organizado à disposição da comunidade quando solicitado.

Os títulos e exemplares só poderão ser transferidos para outra unidade da Biblioteca mediante parecer oficial dos coordenadores de curso das áreas envolvidas.

7 – Descarte

É um processo através do qual o material bibliográfico, após ser avaliado, é retirado da coleção ativa, possibilitando uma economia de espaço no acervo.

7.1 – Critérios para descarte de livros

a) Inadequação de documentos cujos conteúdos não mais interessam à instituição;

b) Documentos desatualizados e, portanto, com conteúdos superados em relação a novas edições. A decisão pelo descarte deve levar em conta a área de conhecimento da obra e a opinião de um especialista no assunto e;

c) As características físicas da obra, considerando que, mesmo em más condições, sua relevância bem como a dificuldade de substituição obriga que seja feita sua restauração.

7.2 – Critérios para descarte de periódicos

a) Coleções não correntes e que não apresentem demanda na instituição;

b) Periódicos de divulgação geral ou de interesse temporário;

c) Periódicos recebidos em duplicata e;

e) Condições físicas inadequadas.

8 – Reposição bibliográfica

Os materiais desaparecidos não serão repostos automaticamente. Sua reposição deverá ser feita com base nos critérios:

a) Demanda do título;

b) Número de exemplares existentes e;

c) Valor do título.

9 – Avaliação da coleção

A Biblioteca deverá fazer avaliação e inventariar seu acervo anualmente, ou quando este procedimento se fizer necessário, sendo empregados métodos quantitativos e qualitativos, cujos resultados serão comparados e analisados, assegurando o alcance dos objetivos da avaliação da coleção.


Parceiros

Convênios